*Por Orkut Buyukkokten


Em período de isolamento social e pandemia, os aplicativos de redes sociais ocupam um espaço ainda maior em nossas vidas, com alguns sendo mais relevantes do que outros, dependendo de nossas necessidades, status de vida e interesses. As maiores redes sociais do mundo, hoje, são o Facebook e o Instagram, com um total de 3,5 bilhões de usuários mensalmente ativos (MAU) (1). As pessoas podem achar que são diferentes, mas elas têm a mesma empresa-mãe e, na maior parte, são regidas por um conjunto de regras. Porém, seus públicos e experiência de usuário são bem diferentes. Neste artigo, vou comparar o Facebook/Instagram à minha nova rede social, o hello. 


Público-alvo
O Facebook foi, originalmente, criado como um diretório para alunos universitários. Com o tempo e a comercialização do Facebook, o público e o conteúdo mudou. Conforme a rede social amadureceu, o público do Facebook também se tornou mais velho, com apenas 30% dos usuários do Facebook na faixa etária de 25 a 34 anos (4). Os idosos são o grupo que cresce mais rápido no Facebook (8): 62% dos idosos on-line, com mais de 65 anos, estão no Facebook, e 72% dos idosos com idades entre 50 e 64 também (1). O Facebook se vende como uma forma de se manter conectado aos amigos e familiares. Os idosos são a parte da população mais interessada em manter relações, em vez de criar novas relações, então, faz sentido essa população ser a maior parte de seus usuários. 


Por outro lado, os usuários do Instagram são mais jovens, com 65% tendo entre 18 e 34 anos (1). 
Já no Hello Network, a base de usuários do hello se enquadra diretamente na faixa etária de 18 a 34 anos, com 67% dos usuários nesta faixa etária.

Conexões 
O Instagram evoluiu para adotar um modelo influenciador cujo objetivo é fazer você seguir influenciadores. Considere o fato de que 68% das pessoas entra no Instagram para interagir com criadores de conteúdo de marca (1), existem 500 mil influenciadores ativos no Instagram e 73% dos adolescentes americanos dizem que o Instagram é a melhor forma para marcas os alcançarem com informações sobre novos produtos ou promoções (2). O fato de que 89% das empresas indicam que o Instagram é o canal de mídias sociais mais importante para o marketing de influenciadores (3) comprova a eficácia do modelo. 
 


O hello foi planejado, desde o início, com uma abordagem bem diferente às redes sociais. Seu modelo de descoberta social busca ajudar as pessoas a construírem conexões novas e verdadeiras com base em interesses em comum, não em reforçar relações existentes ou fornecer uma plataforma para autopromoção ou promoção de marca.

Tipos de conteúdos 
De uma perspectiva experiencial, o Facebook se transformou em uma plataforma onde as pessoas recebem notícias, além de se manterem atualizadas sobre as vidas de pessoas que são importantes para elas. 36% das principais postagens no Facebook são relacionadas à política (1), com 52% dos americanos dizendo que acessam as notícias no Facebook (8). Curiosamente, o Facebook expandiu a missão da empresa para incluir o seguinte: “… descobrir o que está acontecendo no mundo e compartilhar e expressar o que é importante para eles.” Isso é muito diferente da premissa original de reforçar relacionamentos existentes ao “se manter conectado a amigos e familiares”.


Apesar do Instagram ter 1 bilhão de usuários mensalmente ativos, muitos veem o conteúdo como superficial e pouco autêntico. É como você quer que os outros te vejam, não quem você é de verdade. As postagens são filtradas e direcionadas demais, não espontâneas. Cada postagem se torna uma competição, com o número de curtidas, comentários e seguidores sendo mais importante do que criar amizades e gerar conversas. Todos são (ou querem ser) um influenciador. Porém, há limitações no conteúdo do Instagram. Os tamanhos das fotos são restritos, você não pode compartilhar links e só pode compartilhar vídeos limitados. Além disso, com os Stories do Instagram, se você não entrar em um dia, pode perder conteúdos divertidos. 

Orkut Buyukkokten

Orkut Buyukkokten é fundador do orkut.com e da rede social Hello Network


Tanto o Facebook quanto o Instagram também têm restrições quanto aos tipos de conteúdos publicados. Há políticas rigorosas contra conteúdo adulto, determinando para você o que você deve poder ver, em vez de permitir que você escolha isso.  Nenhuma rede social pública permite conteúdo explícito ou ilegal, mas a capacidade de postar e ver conteúdo para adultos deve ficar a critério do usuário.   


O hello acredita que o conteúdo deve representar a pessoa real e ser um reflexo autêntico de quem ela é. O hello tem uma atmosfera amigável e receptiva onde todos são bem aceitos. O objetivo é criar conexões e amizades verdadeiras.

Interface
A interface do Instagram é simples e a execução é boa. Você sabe o que esperar. Sete a cada 10 hashtags no Instagram incluem uma referência a uma marca (1). No Facebook, as postagens e feeds são muito pesados visualmente e a maioria do conteúdo vem de outro lugar em vez de ser original.  O Facebook presume do que você gosta com base em suas interações anteriores com o conteúdo, e coloca isso no seu feed. Ele te leva aos extremos dos seus interesses, pois o objetivo do algoritmo é mostrar a você coisas às quais você é inclinado, com base nas suas curtidas. Além disso, a menos que você adicione “amigos”, o conteúdo pode ficar velho e limitado.


O conteúdo do hello é controlado pelo usuário. O algoritmo do hello foi planejado para mostrar conteúdo que interesse a você e para ajudar você a encontrar pessoas por meio dos seus interesses. Você tem controle total sobre com que e com quem você quer interagir.

Usuários fakes
Infelizmente, há o problema constante de usuários falsos nas redes sociais, afetando negativamente a sua experiência em um aplicativo e reduzindo sua autenticidade. Existem 120 milhões de usuários falsos (1) no Facebook e 83 milhões de perfis falsos (6). Cerca de 8% ou 80 milhões das contas do Instagram são bots falsos de spam, segundo um estudo feito por um grupo de pesquisadores de segurança italianos. O estudo não só descobriu que 8% das contas em sua amostra se comportavam como bots de spam, mas também que 29,9% dos usuários parecem ser inativos, fazendo uma publicação por mês ou menos (7).


Você não pode ter uma identidade falsa no hello. Nós exigimos que todo usuário se cadastre com um e-mail ou número de celular válido e tenha uma foto no perfil. Publicações, perfis e comunidades também são todos públicos. E empresas não podem entrar no hello, apenas pessoas.

 

Publicidade
O que realmente tem sido avaliado de perto ultimamente é a privacidade dos usuários, a preocupação que o Facebook tem com seus usuários e a quantidade de anúncios nas plataformas.


O Facebook e o Instagram se tornaram os sites de mídia social mais importantes para profissionais de marketing, com mais de 7 milhões de anunciantes no Facebook, e o Instagram agora tem mais de 2 milhões de anunciantes mensais e 25 milhões de perfis comerciais.  O lucro do Facebook com anúncios em 2019 foi de US$ 67 bilhões, com o Instagram sozinho gerando US$ 20 bilhões em lucro com anúncios (1). 


Segundo uma pesquisa recente de CMO do Survey Monkey, os consumidores não gostam dos anúncios, por vários motivos. Apesar dos anúncios terem um bom desempenho em geral, não estão necessariamente oferecendo uma boa experiência aos usuários, que muitas vezes dizem que eles são numerosos demais, repetitivos e irrelevantes. Veja mais detalhes abaixo:

Quase 3 a cada 4 usuários (74%) acham que há anúncios demais. O número aumenta para 78% para usuários com 35 anos ou mais.
63% dos usuários dizem que só veem as mesmas coisas sendo anunciadas várias vezes.
44% dos usuários acham os anúncios irrelevantes às seus desejos e necessidades. Para usuários com 35 anos ou mais, o número sobe para 51%.
Ninguém gosta dos anúncios, mas eles são tolerados, por enquanto, devido aos outros benefícios das mídias sociais, mas o aplicativo que puder viver sem anúncios, ou encontrar uma forma de torná-los relevantes, ganhará o coração e a mente dos consumidores.

O hello não tem anúncios no aplicativo.​

Privacidade
O pior problema que o Facebook e outras empresas de mídias sociais enfrentam hoje é a crescente preocupação dos usuários com a privacidade, e a capacidade e vontade dessas empresas de proteger seus dados. As pessoas se preocupam com todas as informações pessoais que são coletadas e compartilhadas e com a segurança desses dados. Embora o Facebook diga que oferece aos usuários o controle de quanta informação eles querem compartilhar, está sempre criando novas maneiras de coletar dados, forçando os usuários a verem tudo que eles fazem para proteger sua própria privacidade. É quase uma situação de “risco do comprador”, onde se espera que você se mantenha informado e se defenda contra uma ameaça em constante expansão. O principal objetivo do Facebook é atender aos interesses da corporação e dos acionistas, não dos usuários.

O hello não coleta nem vende os dados dos usuários.

Os serviços de mídias sociais estão integrados em nossa sociedade, e há uma reação e fadiga quanto ao seu uso, algo evidenciado pelo fato de que 42% dos usuários tiraram “férias” do Facebook no último ano (8). Nós queremos algo novo. Queremos uma forma de nos tornar humanos de novo. Nós sugerimos que você experimente o hello, mostre seu verdadeiro eu e faça novos amigos.

*Orkut Buyukkokten é o engenheiro fundador da primeira rede social que engajou brasileiros, o orkut.com, e CEO da Hello Network, www.hello.com. 

Participe das comunidades tecflow no Telegram, FacebookLinkedInInstagram Twitter


Notas de rodapé: 


2.Dados da matéria de Piper Jaffray de abril de 2019, intitulada “Falando com adolescentes: Primavera de 2019.” Aproximadamente 8 mil adolescentes americanos com uma média de 16,3 anos foram entrevistados em sala de aula durante a primavera de 2019.



5.Dhs




Participe das comunidades tecflow no Telegram, FacebookLinkedInInstagram Twitter


 
https://www.tecflow.com.br/feed

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.